Prometo proteger-te de toda esta sociedade que não te aceita como eu. Prometo proteger-te de todos os olhares, todos os pensamentos e todas as palavras que, muitas vezes, mais do que a ti, me doem a mim. Só gostava que toda a gente olhasse para ti como eu olho, como os pais olham, como quem realmente te conhece olha. Este mundo seria tão melhor se toda a gente visse a vida como tu, amor acima de tudo, o resto vem depois. Adorava que as oportunidades que eu tenho fossem as mesmas para ti também. E mete-me nojo só de pensar que não são. Algo que desde muito cedo me incomoda é isso mesmo. Esta sociedade não está, infelizmente, preparada para alguém como tu, alguém com tanto para dar. Em vez de te deixarem “voar” prendem-te ao máximo. Prometo também que hei de sempre lutar contra tudo isso. E que nunca ninguém se vire para mim a dizer que não consegues. E que nunca ninguém se vire para mim a dizer que não és capaz. És capaz, de mais de for preciso! Sinto que te devo muito, cresci muito rápido por ti, para te ajudar, para te apoiar, para estar lá sempre. E não me arrependo nem um bocado! Amo-te mais que tudo neste mundo! És o meu orgulho e a minha definição de lutador! Sempre! Há dias em que não dá para conter.

Catarina Maia, Outubro 2016