Sempre pensámos em adotar,  desde o namoro que falávamos os dois sobre isso. Depois fomos tendo os nossos filhos e fomos adiando… quando pensámos num 5º filho voltámos a falar em adotar alguém que estivesse sozinho neste mundo e que precisasse de uma família. Nunca pensámos em deficiência, mas quando a senhora da segurança social nos perguntou se aceitaríamos um filho com deficiência, e nomeadamente uma bebé com T21, falámos um com o outro e dissemos que sim.

E assim nasceu a nossa Margarida, a nossa 5ª filha, muito querida, muito parecida connosco e com uma adaptação fantástica! Ela tem sido uma filha super gratificante, os manos adoram-na, sempre bem disposta e era a peça do puzzle que faltava na nossa família! Já não faz sentido para nós, a nossas vida sem a nossa filha.

Maria Núncio, já tinha 4 filhos quando adotou a Margarida